Blog Linux Avante

DXVK 1.0 lançado (camada de compatibilidade baseada em Vulkan para Direct3D 11/10)

26 de fevereiro de 2019

DXVK, a camada de tradução baseada em Vulkan para Direct3D 11 e 10, atingiu a versão 1.0 e inclui correções de melhorias de desempenho para alguns jogos e um novo script de configuração.

DXVK permite executar jogos 3D Direct 3D 11/10 e aplicativos no Linux usando Wine. Para usar o DXVK, você precisará do Wine, da biblioteca Vulkan, bem como de uma GPU capaz de Vulkan.

Overwatch Wine DXVK 1.0

O DXVK 1.0 mais recente adiciona uma opção para mostrar o nível de recurso D3D atual no DXVK HUD. Isso é especialmente útil se você estiver interessado em conhecer o conjunto de recursos com suporte para um jogo Direct3D 10 específico. Isso não é particularmente útil para jogos D3D 11, pois mostrará 11_0 para quase todos os jogos. Para ver essas informações, exporte DXVK_HUD=api.

Além do mais, com esta versão duas novas extensões Vulkan são usadas (VK_EXT_memory_priority e VK_EXT_memory_budget) se estiverem disponíveis. Essas extensões melhoram o comportamento sob pressão de memória e relatam a VRAM disponível com mais precisão aos aplicativos.

Outras melhorias no DXVK 1.0:

  • O filtro de dispositivo agora corresponde a substrings em vez do nome completo do dispositivo, o que pode ajudar se o nome do dispositivo mudar após atualizações de driver no RADV.

  • Menor melhoria de desempenho em RADV, gerando melhor código de sombreador.

  • Pequenas melhorias na sobrecarga da CPU em alguns cenários.

  • Consistência de frame time potencialmente melhorada na Nvidia em alguns jogos.

  • O diretório de cache de estado agora será criado se ainda não existir.

DXVK 1.0 também vem com melhorias e correções específicas do jogo, incluindo:

  • Resident Evil 2: Habilitou a nova opção d3d11.relaxedBarriers para melhorar o desempenho em até 10% em cenários limitados por GPU. Ativar esta opção pode causar problemas com outros jogos, portanto, tome cuidado ao usá-la.

  • Overwatch: Correção adequada implementada para problemas de sombra usando a nova extensão VK_EXT_depth_clip_enable. Caso não esteja disponível, o DXVK volta ao comportamento anterior.

  • Far Cry 3/4/Blood Dragon: Corrigidos artefatos de iluminação ao redor de edifícios em algumas GPUs.

  • Far Cry Primal: Corrigidos problemas estranhos de renderização que ocorriam em alguns sistemas.

  • Final Fantasy XIV: Adicionada solução alternativa para o problema de divisão por zero que causa artefatos.

  • Heroes of the Storm: Corrigido problemas de iluminação em alguns objetos.

  • Monster Hunter World: Corrigido shader SPIR-V inválido causando travamentos no driver Nvidia 418.43.

E, finalmente, o winetricks foi substituído por um novo script de configuração do Bash para superar algumas limitações. Graças a isso, é possível usar a implementação Wine DXGI em vez da fornecida pelo DXVK, simplesmente omitindo a substituição de DLL. Isso pode ser feito executando setup-dxvk.sh install --without-dxgi ao instalar o DXVK em um prefixo Wine.

A vantagem disso é que você pode usar o vkd3d do Wine para jogos D3D12, enquanto usa DXVK para jogos D3D11.

Além disso, o novo script de configuração pode instalar as dlls DXVK como links simbólicos, tornando mais fácil atualizar o DXVK para vários prefixos Wine (execute-o com --symlink).

Para baixar o DXVK mais recente, vá para GitHub, onde você encontrará binários, bem como o código-fonte. Porém, para a maioria dos usuários, usar um aplicativo como o Lutris torna muito mais fácil jogar com Wine e DXVK. Para obter um guia de início rápido do Lutris, dê uma olhada em: Como usar o Lutris para jogar jogos do Windows no Linux (Guia de início rápido) .

Para usar DXVK 1.0 com Lutris, selecione um jogo, clique com o botão direito e escolha Configure, vá para a guia Runner options e selecione 1.0 para DXVK version.

Confira a versão original desse post em inglês
Propaganda
Blog Comments powered by Disqus.